REDUÇÃO BASE DE CÁLCULO CESTA BÁSICA.

Em complemento ao Correio Eletrônico Circular SEF/DIAT/N.º 011/2019, de 1º de julho de 2019:
Ratificamos que o benefício previsto no art. 11 do Anexo 2 do RICMS/SC-01, redução da base de cálculo nas operações internas com os produtos listados nos seus incisos I e II, fica mantido até 31 de julho de 2019, na seguinte forma:

Base de cálculo reduzida em 41,667% (Anexo 2, art. 11, I)
Alíquota
Carga tributária efetiva
a) carnes e miudezas comestíveis frescas, resfriadas, congeladas ou temperadas de aves das espécies domésticas;
12% (*)
~7%
b) carnes e miudezas comestíveis frescas, resfriadas, congeladas de suíno, ovino, caprino e coelho;
12% (*)
~7%
12% (*)
~7%
d) banha de porco prensada;
12% (*)
~7%
e) farinha de trigo, de milho e de mandioca;
12% (*)
~7%
f) espaguete, macarrão e aletria;
12% (*)
~7%
g) pão;
12% (*)
~7%
h) sardinha em lata;
12% (*)
~7%
i) arroz;
12% (**)
~7%
j) feijão;
12% (**)
~7%
m) mel;
12% (**)
~7%
n) peixe, exceto adoque, bacalhau, congrio, merluza, pirarucu e salmão;
12% (**)
~7%
o) leite esterilizado longa vida;
12% (*)
~7%
p) queijo prato e mozarela;
12% (*)
~7%

* RICMS/SC-01 art. 26, III, “d” - mercadorias de consumo popular, relacionadas no Anexo 1, Seção II;
** RICMS/SC-01 art. 26, III, “e” - produtos primários, em estado natural, relacionados no Anexo 1, Seção III;

Base de cálculo reduzida em 58,823% (Anexo 2, art. 11, II)
Alíquota
Carga tributária efetiva
a) misturas e pastas para a preparação de pães, classificadas no código 1901.20.9900 da NBM/SH;
17%
~7%
b) carnes e miudezas comestíveis temperadas de suíno, ovino, caprino e coelho; e
17%
~7%
c) atum em lata.
17%
~7%
17%
~7%
17%
~7%

A partir de 1º de agosto de 2019, as operações internas com as mercadorias listadas nos incisos I e II do art. 11 do Anexo 2 passarão a sofrer tributação normal, com as alíquotas “cheias”, conforme definido no art. 26 do RICMS/SC-01, salvo sujeição a outro benefício.
Por exemplo:

Sem redução de base de cálculo. Aplica-se a alíquota do imposto (RICMS/SC-01, art. 26).
Alíquota
sardinha em lata
12% (*)
água mineral natural, com ou sem gás, em embalagem de até 20 litros
17% (**)
atum em lata
17% (**)

* RICMS/SC-01 art. 26, III- 12% (doze por cento) nos seguintes casos: “d” - mercadorias de consumo popular, relacionadas no Anexo 1, Seção II;
** RICMS/SC-01 art. 26, I - 17% (dezessete por cento), salvo quanto às mercadorias e serviços relacionados nos incisos II, III e IV;

Por último, desde 19 de junho de 2019, por força da Lei nº 17.737/2019, as operações internas com os seguintes produtos têm sua base de cálculo reduzida em 41,667%:
I – farinha de trigo, de milho, de mandioca e de arroz;
II – massas alimentícias na forma seca, não cozidas, nem recheadas nem preparadas de outro modo, exceto as do tipo grano duro;
III – pão francês, de trigo ou de sal obtido pela cocção de massa preparada com farinha de trigo, fermento biológico, água e sal e que não contenha ingrediente que venha a modificar o seu tipo, a sua característica ou a sua classificação;
IV – arroz polido, parboilizado polido, parboilizado integral e integral, exceto se adicionado a outros ingredientes ou temperos;
V – feijão;
VI – leite esterilizado longa vida; e
VII – mel.

Por exemplo:

Base de cálculo reduzida em 41,667%: (Lei 10.297/96, Anexo II, art. 2º)
Alíquota
Carga tributária efetiva
Farinha de trigo
12% (*)
~7%
Mel
12% (**)
~7%
Arroz integral
12% (**)
~7%
Arroz polido e/ou parbolizado
17% (***)
~9,91%
Farinha de arroz
17% (***)
~9,91%

* RICMS/SC-01 art. 26, III, “d” - mercadorias de consumo popular, relacionadas no Anexo 1, Seção II;
** RICMS/SC-01 art. 26, III, “e” - produtos primários, em estado natural, relacionados no Anexo 1, Seção III;
*** RICMS/SC-01 art. 26, I - 17% (dezessete por cento), salvo quanto às mercadorias e serviços relacionados nos incisos II, III e IV;

Como observado no exemplo, importante salientar que a carga tributária efetiva pode variar conforme a alíquota própria a ser aplicada a cada produto.
Eventuais dúvidas podem ser dirimidas na Central de Atendimento Fazendária (CAF), via correio eletrônico disponibilizado no site desta Secretaria na Internet ( http://caf.sef.sc.gov.br/Views/Publico/Ticket/Novo.aspx ) ou pelo telefone (0300.645.1515), das 8h às 18h.

Cordialmente,


Rogério de Mello Macedo da Silva
Diretor de Administração Tributária

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Empresas do Simples Nacional devem ficar atentas.

Sua empresa desfruta de Benefício Fiscal?

VINHOS CATARINENSES GANHAM COMPETITIVIDADE COM SAÍDA DA SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA.